Memorial Imigração Judaica

     Nascido na Polônia, em abril de 1907, seu Luiz iniciou sua carreira como professor de Hebraico, na Escola de Baronesa Clara, na Colônia de Quatro Irmãos. Em 1937, passou a dirigir a Escola Hebraico-Brasileira em Santos (SP) e em 1943, a convite de Henrique Sankovsky, passou a ministrar aulas em iídiche e hebraico no recém-fundado Colégio Chaim Nachman Bialik, no Bairro de Pinheiros, em São Paulo, ainda com poucos alunos, cujo número foi aumentando com o tempo. Ele conta que sua maior dificuldade foi a falta de livros. Tinha tarefas como ensinar sobre o Shabat, Torá e Chumash. Porém, também ensinava outras disciplinas como o português, história do Brasil, entre outras.

     No trigésimo ano da fundação do colégio Chaim Nachman Bialik, o "Moré" Luiz Karolinski enviou parte da seguinte mensagem aos alunos e pais:

\r\n

     "Desejo que os pais continuem se dedicando à Escola como se fosse sua própria alma."

\r\n

    Seu Luiz dedicou-se a este colégio e à comunidade de Pinheiros durante 25 anos. No ano de 1969, afastou-se do colégio Bialik para assumir a diretoria cultural do Keren Kayemet Leisrael, também foi membro ativo da Organização Sionista Unificada de São Paulo. Faleceu no dia 13 de setembro de 1978, em São Paulo.

\r\n

Colônia de quatro irmãos11

\r\n

                                                                                                                                            

\r\n

Para saber mais sobre a história de seu Luiz Karolinski e outros imigrantes, consulte o livro Memórias da Colônia de Quatro Irmãos, de Marcos Feldman, com prefácio de Maria Luiza Tucci Carneiro, Editora Maayanot.

\r\n

rodape logos2

© 2017. Memorial da Imigração Judaica. 

vimeo1  face1